Publicidade

Caminhões autônomos já estão em uso no Brasil

Compartilhe:
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A empresa de mineração Vale adquiriu recentemente 7 caminhões de minério totalmente autônomos, visando reduzir custos e aumentar produtividade.

Já imaginou um monstro de 13 metros de comprimento e 5,7 metros de altura, andando a até 60 Km/h sem motorista? Pois assim são os novos caminhões de minério que a Vale adquiriu recentemente, produzido pela Caterpillar, o 793F CMD custa em torno de R$ 15 milhões, com um motor de 16 cilindros e 85 litros, com potência de 2.478 cv, podendo carregar por vez até 226 toneladas e velocidade máxima de 60 Km/h, é guiado por sistemas de computador embarcados com GPS, radares e inteligência artificial.



Esses monstros circulam pela mina de Brucutu em Minas Gerais, sem gerência humana, as rotas são traçadas no sistema, assim como os pontos de carga e descarga, e os mesmo atuam ativamente nestas rotas transportando minério enquanto monitoram o trajeto por obstrução de outros veículos, rochas ou pedestres, podendo interromper a operação até que a rota seja liberada ou traçar uma rota disponível de forma a não parar.

Com a implantação deste caminhões, a Vale reportou uma aumento de produtividade que foi de 853 toneladas/hora, para 866 toneladas/hora, com velocidade média indo de 22,9 Km/h para 23,9 Km/h.

Além de aumento de produtividade, há a estimativa de redução dos custos, pois os caminhões autônomos possuem a tendência de aumentar sua vida útil em 15%, além de redução dos custos de manutenção e combustível em torno de 10%.



Quanto aos operadores destes caminhões, os mesmos foram realocados para outras atividades dentro da empresa, enquanto uma equipe foi capacitada para operar as rotas de atuação destes.

Outro local onde os caminhões autônomos foram inseridos foi na indústria canavieira, em Maringá no Paraná, onde a Volvo colocou caminhões nas linhas de plantação.

Os caminhões autônomos na plantação de cana são ótimos porque não passam por cima das novas mudam, que restam após a colheita, pois eles possuem precisão de 2,5 cm, enquanto um caminhão convencional tem uma precisão média de 30cm.



->

Antes os caminhões eliminavam em torno de 12% dos brotos, enquanto os caminhões autônomos eliminam somente 4%, evitando a perda de cerca de 10 toneladas por hectare.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *